ÉRAMOS JOVENS

terça-feira, 1 de junho de 2010

CRUCIFICA-ME!!


Já é sabido que sou avessa a amores virtuais, e já fui até criticada por isso, ora... vivo ou não em uma democracia? Então... hoje, se DEUS é banalizado, imaginem o Amor.
Mais uma vez tive a colaboração da minha colega virtual, um amor de pessoa, ela sempre cita algo no chat e vira e mexe copio para espairecer, sair um pouco de relatórios, textos e mais textos, provas, afff... Fico pasma como se pode estar um no Oiapoque e outro no Chuí e dizem que se amam, ou namoram. Claro que há casos reais, como a Sil, por exemplo, mas FOI REAL, é real, conheceram-se, se encontraram e estão casados há uns 8 anos. Não disse que não acredito em relacionamentos, mas não aceito chamarem TUDO DE AMOR, gente! Amor é o que sentimos por nossos consangüíneos e de PRIMEIRO grau; no decorrer da vida teremos outras “formas de amor” como diz Lulu Santos, os amigos por exemplo, amigos mesmo... aqueles que nos escolhem e que escolhemos ao longo desta curta vida; mas não me venham com essa de acharem que olhar a imagem na web cam é a mesma coisa que um forte abraço, ah não! Menos. Já conheci pessoas através de chats, se tornaram casos, amigos, colegas.. mas todos que pude TOCAR, VER, olhar nos olhos, no globo ocular e não na lente de uma câmera. Internet é muito bom! Tem tudo, tudinho! Cabe a nós, discernimento, uso moderado e respeitar a opinião alheia. Eu continuo em dúvida se esse “amor” é um querer imenso ou a vontade de querer ser o objeto deste sentimento tão lindo e tão desvalorizado. Penso que o transcrito abaixo não seja nem texto, é mais um desabafo de alguém que provavelmente se perdeu no labirinto do MSN com cam e mic (tudo assim... só 03 letrinhas...rs) e que, ao não conquistar ou manter a suposta conquista, decepcionou-se. Talvez um dia, este “autor desconhecido” (odeio isso, acho de uma covardia supimpa! kkkkk) ao sair de carro, de ônibus, ou numa reunião de amigos, uma festa, um banco, possa olhar nos olhos de alguém, possa se sentir gente mesmo, e não extensão de uma máquina, da qual somos só e meros operadores, não um pedaço delas! Segue texto com meu comentário final.
TEXTO (autor desconhecido)
“Não brinque com amores virtuais – eles são como todos os amores – provocam as mesmas mágoas, as mesmas dores – daqueles que chamamos de reais. Estes porém machucam mais ainda, pois nunca se dividem os cobertores, dos beijos não se provam os sabores, nem vão pelos ímpetos carnais. Mesmo assim, quando este amor acaba, e a solidão ao cúmulo se revela, chora-se um frágil amor que só havia na fina transparência de uma tela.”CONSIDERAÇÕES FINAIS
(kkkkkkk liga não gente, é muito projeto na cachola)
Eu iria mais além, vejo que as dores são bem maiores, pois existe A DÚVIDA, a ILUSÃO de que aquele apelido seja assim, assado... enquanto a vida com cheiro, toque, olhar... vai passando... passando. Há que se ter cuidado com a palavra AMOR, pois esta só existe de pais para filhos e algumas vezes, vice versa.
O “autor desconhecido” finaliza com o ÓBVIO, não há nem o que comentar: ‘ chora-se um frágil amor que só havia na fina transparência de uma tela.’
beijos meus!

3 comentários:

Lu Oliveira disse...

Cara... nem vou te crucificar nem te aplaudir. Infelizmente vivemos em um mundo tão complicado que conheço pessoas que só conseguem relacionar-se pelo computador. Também acho estranho, fico penalizada de ver tanta solidão e carência, mas... como na música do próprio Lulu:

"... não desejamos mal a quase ninguém
E a gente vai à luta
E conhece a dor
Consideramos justa toda forma de amor

Bjos querida. Amo-te

LOYRA*SP disse...

Lu... politicamente correta, vc viu que citei LULU também...rs, e ratificando: sou contra a BANALIZAÇÃO do amor, pois vc é prova de que a mesma pessoa que hj ama um desesperadadamente, amanhã já ama outro mais desesperadamente... e isso não é amor! Amo vc, obrigada. Beijos.

nana disse...

OI,LOYRA!
CONCORDO COM VC SOBRE A BANALIZAÇÃO DO AMOR!
EU NÃO CONSIGO ME RELACIONAR COM AS PESSOAS PELO COMPUTADOR E ME SINTO FELIZ POR ISTO!
PAPEAR NO CHAT É GOSTOSO, DIVERTIDO E ME DISTRAI, MAS DAÍ IMPlICAR EM COMPROMISSO COM ALGUÉM, ME DEIXARIA DOENTE.
UM GRANDE ABRAÇO
nãna da sla 10 da bol(40 a 50 anos)