ÉRAMOS JOVENS

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Na estrada de novo.


Mais uma vez, nos demos o prazer de estarmos juntos, em família para uma viagem. Todo e qualquer minuto, na medida em que envelhecemos, é simplesmente precioso demais. Minha rainha não passou mal em qualquer momento, e olha que foram 3 horas de estrada... risos. Seriam 2, mas quem estava ao volante era eu... então já viu. Chegando ali na parada da Ayrton Senna, próximo a SJCampos meu irmão disse: AGORA VOCE LEVA!
Isso. Levo quem pra onde? Levo o que, meu Deus? Sacanagem: carro novo numa descida como a Tamoios???????????????????? Só Jesus na causa!
Sentei no banco do condutor, ajustei espelhos, puxei o banco (que para mim fica na última posição - em cima do volante), e bora! Na reta: 100, 120 km/h. Quando começou a descida, kkkkkkkkk, 80, 60, 40! A fila atrás da doblô era imeeeeeeeeeensa. E eu nem tchum! Aprendi a não estressar e só tem uma faixa, então nem para a direita eu podia ir... os apressados que ultrapassassem, oras!
Enfim, chegamos atrasados para o almoço! Droga! Nada mais: nem uma rapinha! Nem eu falando que tinha uma idosa com mobilidade reduzida, nada!
Mas gente... não dá para expressar em palavras, dali para frente, tudo lindo. O clima estava maravilhoso, tinha sol mas nada sufocante. Terça, quarta, quinta e sexta de dias plenos e noites agradabilíssimas. Mamãe esteve bem a viagem toda, andando, conversando, comendo bem... uma benção!
Na quinta fomos a Paraty, pois sempre que estamos em Ubatuba, adiamos, para amanhã e nunca vamos e são só 70 km. Até então eu não conhecia Paraty a não ser da histórias, das feiras literárias ou de ouvir relatos. Eu, estava assim empolgada por demais. Afinal as fotos são lindas!
E, só reafirmando o que eu sempre digo: na net, na câmera, na foto É TUDO MARA!
Fomos chegando... nem um portal, nem uma placa, achei uma plaquinha tão insignificante de "bem vindos a Paraty" que nem fotografei! Acho que por ter me acostumado a não ver placas grandes em SP (de bares, lojas, etc pois o prefeito proibiu e mandou padronizar por conta da poluição visual, e de fato, no começo você estranha, mas depois você consegue ver melhor os prédios, a arquitetura e se acostuma), então quando me deparei com a placa da farmácia 20 vezes maior que a placa informativa, já não gostei.
Tá, mas PARATY é PARATY, para nós, para todos! Patrimônio histórico então bora! Ao chegar num ponto, vi um moço com um jaleco laranja se aproximando e pensei que era flanelinha! kkkkkkk - "Até aqui tem flanelinha uniformizado?? Sacanagem!" - o moço veio na minha janela e disse se queríamos guia, se conhecíamos, se sabíamos onde estacionar. Eu recusei tudo, até que vi o crachá da prefeitura e entendi que ELE era o guia. Uia que legal. A prefeitura paga para que eles nos abordem e nos CONDUZAM e não para quebrar ou roubar seu carro, como aqui em sampa.
Ele nos disse onde estacionar, pois carros não circulam no centro histórico. Acontece, que onde a cidade não é tombada, a infraestrutura é péssima. Cadeirantes, portadores de mobilidade reduzida, não andam ali! Alias, eu com todos os sentidos e membros AINDA bons, não ando ali! Trupico, escorrego, topo, mas não ando! kkkkkk
Então fiquei no carro com a mãe e Marla e o mano foram dar uma volta. Dali até onde pude ir, sinceramente, não vi nada de deslumbrante não! Desculpem minha sinceridade. Como estacionei no muro de alguém, a senhora dona da casa estava no portão e viu a gente cuidando da mãe, puxou conversa e ali ficamos um tempão conversando, ela até ofereceu água, um lanche, se colocou a disposição para mamãe. E me contou que a cidade era aquilo mesmo, que para turismo era maravilhosa, mas para os moradores dali, os serviços, a infraestrutura, o poder público são duvidosos... e eu não duvido. Depois vou falar de Campos do Jordão. Enfim, voltamos para Ubatuba, como o hotel é praticamente DENTRO do mar, não teria lugar melhor para descansar. Há muitos anos não gosto mais da "curtição" de praia: óleo, areia, fio dental enterrado incomodando, seio saindo pra fora de biquini... afff, passei da fase! kkkkkkkk. Mas amo o mar. Poxa, como acho algo sem comparação. Como emudeço diante de seu barulho e imensidão. Nos nossos quartos, o fuzuê de sempre: muita risada, bagunça, e a novidade: "guerra de pum" entre mano e marla, não mereço... fui para o outro quarto! kkkkkkkkkk. Os dias eram comer, dormir, andar... No sábado o povo trabalhador chegou, a Sonia não foi dessa vez. E... TOCA PARA PARATY de novooooooo! Dessa vez a Marla ficou com a mãe, já que mamãe não poderia andar e ficar no carro de novo era crueldade. Dessa vez, fui ao centro histórico para ver se minha opinião mudava. Bom.. sábado e domingo eram dias de FESTIVAL DA CHACHAÇA, logo eu que NÃO SUPORTO! Só bebum pra lá e pra cá, e quantos jovens... ah que dó, que forma tola de achar que está curtindo! Olhei a cidade, as ruelas com olhos históricos... sim, muito bonito. Mas o que deveria estar sendo conservado, está as traças. Nos locais mais afastados, a igreja antiga está para cair, muitos prédios isolados, sem manutenção, sem pessoas.
Volto meio frustrada sim. Esperava mais! Mas valeu. Voltamos por TRINDADE outro local badaladíssimo, nem vou contar nada... da estrada, do comércio que se formou na vila que a priori, seria um espaço natural que de natural tem muito pouco! Ainda estivemos no aquário municipal, no projeto tamar e voltamos na segunda tranquilamente também, e com mamãe muito bem, obrigada. Claro que se estávamos em Ubachuva tinha que chover, e choveu sábado e domingo, mas e daí?? Foi ótimo!
Agradeço a Deus, por mais este presente e divido com vocês o que for "publicável". kkkkkkkkk


Ah, e se tiverem oportunidade, vão a Paraty sim! O caminho é lindo, a rodovia tá bem conservada, o transito é tranquilo e a paisagem.... ahhhhhhhhhhhhh a paisagem! A foto acima é um de meus “clicks” à noite, da sacada do quarto. Ah se aquela sacada falasse!
Por enquanto é isso.
Cheguei em SP com bombas e mais bombas. O Muammar al-Ghadafi caiu na Líbia, a FAB tá embaçando na minha de novo, minha prima mandou o marido embora, a ROTA está sendo acusada de abuso, é.. tadinhos dos bandidos, né gente? Ah pera lá! Deixa a Rota em paz! Tirem os que não cumprem a lei, mas não joguem na lama uma corporação inteira não! Ow mídia terrível! Mas isso é outro texto, que já comecei.
Beijos.
LOYRA

2 comentários:

Santiago disse...

Quando estivermos morando aí, vc voltará conosco a Paraty e Trindade e verá esses dois lugares com outro olhar, pode esperar!

Virna Lize disse...

Loyraaaaa, li todas as suas postagens, amei saber q a sua mae encarou essa viagem a Paraty com muita saude.Estava viajando, aos poucos vou retornando, vou postar fotos da viagem no meu blog,beijos beijos ate mais.